Pau que dá em chico! NÃO dá em francisco!

Enquanto a Lava Jato, em suas inúmeras operações é capa de diversos veículos, a segunda fase da Operação Expresso 150 e Operação Capuccino, da Polícia Federal, que ocorreu entre os dias 28/09 à 30/09, passou desapercebida ou não foi de grande notoriedade ao meio midiático e aos grupos de combate à corrupção.

A operação Capuccino investiga o esquema criminoso de vendas de decisões judiciais, no Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE). Estima-se que a organização faturou cerca de 500 milhões de reais. São investigados, ao todo, 14 advogados e 02 desembargadores na ativa e um aposentado, a qual a operação expresso 150, com decisão do STJ abriu investigação.

A OAB/CE se manifestou por meio de nota do Tribunal de Ética e Disciplina (veja nota).

O OUTRO LADO DA CORRUPÇÃO

O foco ao combate da corrupção se dá no meio do Legislativo e do Executivo, passando-se muitas vezes despercebido ou pouco debatido quando é o Judiciário  suspeito de atos de corrupção. O Fato é que ao político o estrago é grande, que o diga os envolvido na operação Lava Jato.

Já, a Aristocracia Brasileira que se ocupa no Judiciário, a estes caberá apenas aposentadoria compulsória recebendo seus gordos salários. Da prisão do juiz “Lalau” (Nicolau dos Santos Neto),  pra cá, não se viu mais membros desse clã atrás das grades.

Por: Rodrigo Mercúcio

Fonte: OAB/CE e o Diário do Nordeste

Leave a comment

Your email address will not be published.

*