Artigo: Combate à corrupção é conquista da sociedade

A operação Lava Jato tem feito um esforço tremendo para investigar, punir e desmontar as estruturas criminosas de corrupção que se instalaram no nosso país. Mas existe também movimento contrário, um esforço para nos fazer voltar ao tempo da impunidade. Não podemos permitir que o trabalho do Ministério Público Federal, da Polícia Federal e da Justiça seja paralisado. Nossa energia deve ser somada aos que querem fazer o Brasil inaugurar um novo capítulo em sua história.

Para isso, temos de participar do debate e cobrar do Congresso Nacional a aprovação das dez medidas de combate à corrupção e à impunidade apresentadas pelo MPF (PL 4850/2016) e impedir a aprovação do PL 280/2016, que altera a lei de abuso de autoridade. Esta última, se aprovada, vai limitar a atuação de procuradores e juízes, conforme denunciaram em ato público no início desta semana. Na prática, pode acabar com a operação Lava-Jato e o recurso da delação premiada. Mais que isso, vai interromper esse ciclo virtuoso de combate à corrupção.

A última pesquisa Datafolha apontou que 32% dos brasileiros consideram que o maior problema hoje no Brasil é a corrupção – até mais do que desemprego, saúde, educação e segurança. Impedir ou dificultar as ações de combate à corrupção é ir contra o que espera a sociedade brasileira. O Congresso Nacional é uma instituição representativa do povo brasileiro, não pode decidir em benefício próprio e ser contrário ao que espera o povo. Temos de lutar para institucionalizar o combate à corrupção em vez de institucionalizar a impunidade.

Sempre digo que ganhos importantes para a sociedade devem ser institucionalizados para que futuramente não nos sejam subtraídos.  A operação Lava Jato e as demais operações da PF e do MPF contra a corrupção sistêmica são uma conquista da sociedade brasileira, não são conquistas apenas de um dos poderes do Estado, a serem desfeitas pelos demais poderes. Está na hora de nos mobilizarmos para garantir essa valiosa conquista.

Leave a comment

Your email address will not be published.

*