Magnata da JBS gravou Temer autorizando compra do silêncio de Cunha, diz ‘O Globo’

Gravações, feitas há dois meses, fariam parte de acordo de delação premiada. Denúncia foi reverberada no Jornal Nacional, principal telejornal do país

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, magnatas da companhia JBS, tentam fechar um acordo de delação premiada em que apresentam uma prova, em áudio, de que o presidente da República, Michel Temer tentou obstruir a Operação Lava Jato, segundo reportagem publicada pelo jornal O Globo nesta quarta-feira. De acordo com o veículo, Temer foi gravado dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha, preso desde outubro do ano passado.

O diálogo entre o presidente e Joesley Batista teria ocorrido por volta das 22h30 do último dia 7 de março deste ano, no Palácio do Jaburu, a residência da vice-Presidência. O empresário portava um gravador escondido, segundo o O Globo. Joesley contou que estava dando uma mesada a Cunha e ao doleiro Lúcio Funaro, para que ambos não falassem nada que prejudicasse o Governo. Temer teria dito: “Tem que manter isso, viu?”. Segundo o empresário, não foi o presidente que determinou o pagamento da mesada, mas ele tinha conhecimento sobre ela.

Questionada pelo EL PAÍS, a assessoria do Procuradoria-Geral da República nem confirma, mas tampouco desmente as informações de O Globo, informa Afonso Benites. Mesmo sem a confirmação, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) anunciou que protocolou um pedido de impeachment de Temer com base nas informações divulgadas por O Globo. “Isso fere direta e claramente a lei dos crimes de responsabilidade”, disse o deputado, referindo-se aos pagamentos para que Cunha permanecesse calado. Em nota, o presidente Michel Temer negou a acusação do empresário da JBS.

Senadores

A delação também comprometeria o senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato à presidência derrotado por Dilma em 2014. O tucano pediu, segundo O Globo, dois milhões de reais a Joesley. O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio — e essa cena teria sido inclusive gravada pela Polícia Federal. O dinheiro, segundo as notícias sobre a delação, foi depositado na conta de uma empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG) O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega é outro que aparece na delação, como contato do empresário no PT.

Em nota divulgada minutos depois da publicação da reportagem de O Globo, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, disse que “são estarrecedores, repugnantes e gravíssimos os fatos noticiados por O Globo a respeito de suposta obstrução da Justiça praticada pelo presidente da República e de recebimento de dinheiro por parte dos senadores Aécio Neves e Zezé Perrella”. Lamachia cobrou a publicação das gravações citadas, “na íntegra, o mais rapidamente possível”.

A denúncia contra Temer abala o mundo político pouco mais de um ano após a sessão em que o Senado aprovou o impeachment da então presidenta afastada Dilma Rousseff. A notícia, reverberada pelo principal telejornal do país, o Jornal Nacional, atraiu as atenções imediatas no país e causaram até mesmo instabilidade no site de O Globo por causa do excesso de acessos.

https://www.facebook.com/JornalNacional/videos/1345819708841745/

Fonte: EL Pais

Leave a comment

Your email address will not be published.

*