Em votação apertada, PSol elege o ativista Fábio Félix para a presidência regional do partido

 O ativista de direitos humanos Fábio Félix foi eleito presidente regional do PSol neste domingo (21/10), após uma votação apertada. Ele venceu Tetê Monteiro, candidata apoiada por Antônio Carlos de Andrade, o Toninho do PSol, por 94 votos a 89.

 Mais de 900 pessoas participaram das plenárias realizadas no Plano Piloto, em Ceilândia, Planaltina, São Sebastião e Santa Maria. Militante gay e assistente social do Sistema Socioeducativo do Distrito Federal desde 2010, Fábio Félix teve o apoio dos grupos ligados à ex-deputada Luciana Genro e à deputada federal Luiza Erundina.

 Após a vitória nas eleições internas, Félix contou que o grande desafio do PSol na disputa de 2018 será “construir uma frente anti-Bolsonaro, anti-Fraga, contra pessoas que defendem o extremismo religioso e os retrocessos”. O novo presidente do partido fez referência aos deputados federais Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Alberto Fraga (DEM-DF).

 Fábio falou que as principais diferenças entre o grupo dele e o de Toninho do Psol não estão relacionadas a posicionamentos sobre as eleições do ano que vem. “As divergências estão na concepção da construção partidária. Nosso grupo defendeu a construção de um partido com mais democracia interna. A gente vem de uma juventude que se formou na militância social e o nosso intuito é dar impulso a um diálogo mais aberto com a sociedade, além de mudar a cultura política”, explicou.

 Ele garante que o PSol terá candidato ao governo do DF em 2018, além de uma nominata forte para disputar cadeiras de deputado distrital. “A gente quer conduzir o processo de consulta aos filiados e dialogar com movimentos sociais sobre o melhor nome”, explicou. De acordo com Fábio Félix, a meta é definir o representante do PSol na corrida pelo Palácio do Buriti ainda este ano.

 “Partido popular”

Nome mais conhecido do PSol no Distrito Federal e três vezes candidato a governador, Toninho garante que a derrota de seu grupo não afastará os militantes ligados a ele do ativismo no partido. “Como fundador do PSol, desejo que Fábio faça um excelente mandato. E torço para que muitas das ideias que ele defendeu sejam efetivamente implementadas pelo partido”, afirmou Toninho.

 “Sempre prezamos muito pela construção partidária nas cidades, para que o partido não seja só o PSol da UnB. Essa corrente tem lugar de destaque, mas queremos um partido popular, com presença em todo o Distrito Federal”, acrescenta Toninho. “Tivemos ideias antagônicas mas estamos prontos para construir conjuntamente um partido cada vez melhor, um PSol enraizado junto ao nosso povo”, afirmou o ex-presidente do PSol no DF. A sigla tem hoje 4,5 mil filiados no Distrito Federal.

 Toninho e Fábio Félix serão candidatos a deputado distrital no ano que vem. “Vou cuidar muito do trabalho de base para minha candidatura a distrital. Depois de disputar três vezes o governo, eu acho que podemos eleger um, dois ou até mais deputados”, garantiu Toninho.

Fonte: CB Poder 

Leave a comment

Your email address will not be published.

*